Corretivo de Solo Paraíso

VEJA O VÍDEO DE COMO É USADO O CORRETIVO DE ACIDEZ MINERAÇÃO PARAÍSO:

APRESENTAÇÃO:

A grande maioria dos solos brasileiros, notadamente aqueles em que estão ocorrendo a expansão da fronteira agrícola, como os solos sob cerrados, apresenta características de acidez, toxidez de Al (Alumínio) e/ou Mn (Manganês) e também baixos níveis de Ca (Cálcio) e Mg (Magnésio).

Para incorporação destes solos no processo produtivo brasileiro, é imprescindível a correção desses problemas através da prática da calagem que é a maneira mais simples para atingir este objetivo.

Além do mais, calcário é um insumo relativamente barato, abundante no país, essencial para o aumento da produtividade, de tecnologia de produção  simples e, poucas práticas agrícolas dão retornos tão elevados a curto prazo.

INTRODUÇÃO:

Solo do ponto de vista agrícola, é a camada superficial da terra, que inconsolidada e constituída por substâncias orgânicas e inorgânicas em mistura de proporções variáveis, fornece as condições necessárias ao crescimento dos vegetais..

Os principais parâmetros que influenciam a fertilidade do solo são:

Concentração de nutrientes,
Teor de matéria orgânica,
Acidez ( valor do pH ),
Disponibilidade de água.

O Corretivo Acidez Mineral – Calcário Agrícola Dolomítico que é usado na agricultura para correção do solo e as suas utilidades.

Sua origem é proveniente do resultado de uma finíssima moagem de Calcário Dolomítico (que possuem Cálcio e magnésio), atuando como adubo, fornecendo cálcio e magnésio para plantas, favorecendo no crescimento das raízes e consequentemente aumentando o rendimento das culturas de modo geral.

É o resultado de uma finíssima moagem de calcário dolomítico que possuem cálcio e magnésio.

A grande maioria dos solos brasileiros, notadamente aqueles em que estão ocorrendo a expansão da fronteira agrícola, como os solos sob cerrados, apresenta características de acidez, toxidez de Al (Alumínio) e/ou Mn (Manganês) e também baixos níveis de Ca (Cálcio) e Mg (Magnésio).

Para incorporação destes solos no processo produtivo brasileiro, é imprescindível a correção desses problemas através da prática da calagem que é a maneira mais simples para atingir este objetivo.

Portanto o conjunto destes parâmetro devidamente balanceados é que caracterizam um solo agrícola em termo de fertilidade e produtividade. Neste sentido a sua fundamental importância, nos preocuparemos com a correção da acidez do solo, que deve ser sempre o primeiro passo para a exploração racional de uma propriedade agrícola.

ORIGEM DA ACIDEZ DOS SOLOS:

Os solos podem ser naturalmente ácidos devido à própria pobreza em bases do material de origem, ou a processos de formação que favorecem a remoção de elementos básicos como K (Potássio), Ca (Cálcio), Mg (Magnésio), Na (Sódio), etc. Além disso, os solos podem ter sua acidez aumentada por cultivos e adubações que levam a tal processos. Em qualquer caso, a acidificação se inicia, ou se acentua, devido a remoção de bases da superfície dos colóides do solo.

ACIDEZ DO SOLO:

A acidez de um determinado solo é caracterizada pelo valor de seu pH, isto é, o potencial de Hidrogênio, que não deixa de ser uma medida de reatividade deste solo.

Portanto o pH mede o grau de acidez ou alcalinidade através de uma escala de zero a catorze, sendo que para valores superiores a 7 indica um pH alcalino e para valores inferiores a 7 pH ácido. O valor mediano 7 corresponde a um pH neutro.

Os principais fatores responsáveis pala elevação da acidez do solo são:

  • Chuvas intensas que causam lixiviação e erosão do solo;
  • Cansaço do solo por plantio intensivo de uma mesma modalidade de cultura se adubação e/ou correção;
  • Adubação contínua, com adubos constituídos principalmente de sulfatos ou nitratos de amônio que, possua constituição ácida, removem o Cálcio e o Magnésio deixando em seus lugares o íon hidrogênio;

Os principais efeitos do excesso de acidez no solo são:

  • Solubilização dos sais de Alumínio disponíveis no solo, levando-os a concentrações tóxicas para as plantas. O Alumínio interfere na vida das plantas atacando o processo metabólico de divisão celular, fixando desta maneira o Fósforo, não permitindo sua assimilação. Como conseqüência, vai haver um retardamento no crescimento das raízes principais e com isso, uma limitação no crescimento das raízes secundárias. Com o sistema radicular afetado, a planta não consegue explorar o solo absorvendo nutrientes, afetando, portanto seu desenvolvimento;
  • Diminui a população e atividade dos micro-organismos úteis, que fixam o Nitrogênio do ar. O mesmo acontece com as bactérias responsáveis pela decomposição da matéria orgânica, afetando a disponibilidade de Nitrogênio, Fósforo e Enxofre contido no solo;
  • A presença do Íon Hidrogênio no solo, provoca o deslocamento do Cálcio e Magnésio, não os tornando disponíveis para as plantas;
  • De um modo simplificado, o Cálcio e o Magnésio desempenham  as seguintes funções na vida das plantas.

Ca ( Cálcio )

1-Promove a formação e crescimento das raízes.

2-Aumenta o viro da planta e a resistência das folhas, colmos, troncos e caules.

3-Ajuda a neutralizar ácidos orgânicos dentro das plantas.

4-Incrementa a produção de sementes e de grãos a granel.

5-Enriquece o valor dos alimentos e forrageiras.

6-Estimula a nodulação e a fixação do Nitrogênio nas leguminosas.

Mg ( Magnésio )

1 – Faz parte da clorofila das plantas.

2 – Incrementa a fotossíntese.

3 – “Carregador” dos Fósforos – na presença de Magnésio as plantas absorvem mais  Fósforos.

Desta maneira, é de fundamental importância que faça periodicamente análises do solo da propriedade agrícola, no sentido de verificar se o pH  é favorável para o plantio de uma determinada lavoura.

Feito isto, determinar-se-á a necessidade da calagem, que devolverá a propriedade condições adequadas para o cultivo, com bom índice de aproveitamento na fertilização do solo, e como conseqüência, melhoria na produtividade.

CALAGEM:

Constatada a necessidade da calagem, devem ser observados os seguintes fatores:

TIPO  DE  CORRETIVO  A  SER  UTILIZADO:

Os corretivos de solo de uso mais difundidos são as rochas calcárias, constituídas principalmente de Carbonatos de Cálcio e Magnésio, que através de sua granulometria (finura), obtida através de diversos processos de moagem, irão caracterizar o produto.

QUANTO  A  COMPOSIÇÃO  QUÍMICA:

Segundo o Decreto nº4.954 de 14 de janeiro de 2004, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento,  regulamenta a qualidade dos corretivos de acidez  mineral, Com as  seguintes especificações mínimas para os corretivos de origem calcária:

– Quanto ao teor de químico: ( % de CaO  + % MgO ) igual ou maior que 38 %

– Quanto ao Poder de Neutralização: (PN)  igual ou maior que  67 %

O Poder de Neutralização (PN) é determinado de acordo com  método oficial da legislação em vigor e expresso em  equivalente de Carbonato de Cálcio puro ( % Eq. CaCO3 ).

 – Quanto a concentração de Óxido de Magnésio (MgO):

1) DOLOMÍTICO:    teor de MgO  maior que 5 % (cinco por cento )

De uma maneira geral podemos então afirmar, que do ponto de vista da composição química, um corretivo de solo será tanto melhor quanto mais elevado for o seu Poder de Neutralização.

QUANTO  A  GRANULOMETRIA  ( FINURA ):

A finura do calcário junto com o poder de neutralização irá definir uma das características mais importante de um corretivo de solo, denominado de Poder Relativo de Neutralização Total ( PRNT ): conteúdo de neutralizantes contidos em corretivo de acidez, expresso em equivalente de Carbonato de Cálcio puro  ( % Eq. CaCO3 ), que reagirá com o solo no prazo de 03 meses.

Isto porque, a finura é um dos fatores determinados da velocidade de reação das rochas com o solo. As rochas calcárias são de baixa solubilidade e a sua reação com o solo se verifica através do contato da superfície exposta do calcário com o solo. Desta maneira o calcário precisa ser moído para que aumente sua superfície já que quanto menor for o tamanho da partícula, maior será a superfície de contato e, portanto mais exposta estará ao ataque dos ácidos, provocando a neutralização destes.

A legislação em vigor (Decreto nº4.954 de 14 de janeiro de 2004 ) estabelece as seguintes especificações quanto ao PRNT:

Quanto ao Poder Relativo de Neutralização Total (PRNT)  igual ou maior que  45 %,

– O  PRNT será  calculado de acordo com a  seguinte fórmula:

PRNT (%) = PN  X  RE , na qual:

                           100

– Poder de Neutralização (PN), determinado de acordo com o método analítico oficial; 

– Reatividade das partículas (RE), valor que expressa o percentual (%) do corretivo que reage no solo no prazo de 03 meses e é calculada de acordo com os seguintes critérios:

– Reatividade zero para a fração retida na peneira de ABNT nº10 (02 mm);

– Reatividade 20 % para a fração que passa na peneira ABNT nº10 e fica retida na peneira ABNT nº20 (0,84 mm);

– Reatividade 60 % para a fração que passa na peneira ABNT nº20 e fica retida na peneira ABNT nº50 (0,30 mm);

– Reatividade 100 % para a fração que passa na peneira ABNT nº50.

Deste modo, podemos então afirmar, que quanto mais alto for o PRNT de um corretivo de solo, maior será a sua eficiência, bem como mais rápida a sua atuação e incorporação pelo solo.

QUANTO  A  SER  APLICADA:

A quantidade do produto a ser aplicada é função direta da análise do solo e da qualidade do corretivo utilizado. Isto é, a análise fornecerá o pH, teor de matéria orgânica e o conteúdo de Alumínio trocável do solo com o Cálcio e Magnésio contido no corretivo.

MODOS  E  ÉPOCA  DE  INCORPORAÇÃO:

Um dos fatores importantes ligado a influência da calagem é sem dúvida a chuva, pois a umidade irá acelerar a reação calcário/solo. De uma maneira geral, deve ser aplicado pouco antes do plantio nas culturas de ciclo curto, seu efeito raramente será sentido de imediato, indo beneficiar, no entanto as do ciclo seguinte.

CULTURAS  ANUAIS  E/OU  INSTALADA  DE  CULTURAS  PERENES

Incorporar na camada arável, aproximadamente 30 cm de profundidade, de 30 a 60 dias antes do plantio de preferência com chuvas. Aplicar 50 % da quantidade antes da aração e 50 % antes da gradeação; em seguida gradear.

CULTURAS  PERENES  JÁ  INSTALADAS:

1.1 – CAFEZAL

Aplicar aproximadamente 65 % da quantidade recomendada na projeção da copa, até 45 cm fora da ponta dos ramos e os 35 % restantes no meio da rua.

1.2 – CANA  DE  AÇÚCAR

Distribuir a quantidade recomendada pala análise do solo na totalidade da área e fazer a incorporação por gradagem.

1.3 – PASTAGENS

Aplicar na área total, sobre o pasto rebaixado e fazer a escariação do solo por gradagem. A melhor época para aplicação é no início da estação de chuvas.

1.4 – POMAR  DE  CITROS  E/OU  OUTRAS  CULTURAS

Aplicar em área total da cultura, atingindo a projeção da copa incorporada por gradagem ou na própria capina.

BENEFÍCIOS  DA  CALAGEM:

A calagem adequada é uma das práticas que mais benefícios traz ao agricultor, sendo uma combinação favorável de vários efeitos dentre os quais mencionam-se os seguintes:

  • Eleva o pH;
  • Fornece Ca e Mg como nutrientes;
  • Diminui ou elimina os efeitos tóxicos do Al, Mn e Fé;
  • Diminui a “fixação” de P;
  • Aumenta a disponibilidade do N, P, K, Ca, Mg, S e  Mo no solo;
  • Aumenta a eficiência dos fertilizantes;
  • Aumenta a atividade microbiana e a liberação de nutrientes, tais como N, P, S e B, pela decomposição da matéria orgânica;
  • Melhora as propriedades físicas do solo, proporcionando melhor aeração, circulação de água, favorecendo o desenvolvimento das raízes das plantas;
  • Aumenta a produtividade das culturas como resultado de um ou mais dos efeitos anteriormente citados.

PRODUTO: Corretivo de acidez mineral – Calcário Agrícola Dolomítico

  • Matéria Prima:………………………… Rocha Calcárea;
  • Natureza Física:………………………. Sólido;
  • PN:………………………………………. 77,00%;
  • PRNT:……………………………………. 76,00%.

COMPOSIÇÃO:

  • CaO:…………………………………………. 30,00%;
  • MgO:…………………………………………. 10,00%;
  • SOMA:………………………………………… 40,00%.

GRANULOMETRIA:

  • 100%: PASSANTE NA PENEIRA 2,00mm (ABNT 10);
  • 99%: PASSANTE NA PENEIRA 0,84mm (ABNT 20);
  • 98%: PASSANTE NA PENEIRA 0,30mm (ABNT 50);
  • PRAZO DE VALIDADE: INDETERMINADO;
  • CONSERVAR EM LOCAL SECO E AREJADO.

ENSACAMENTO:

Nesse processo o produto acabado que está armazenado nos silos é ensacado para que seja vendido.

O produto só é ensacado depois de vendido, e quando ensacado já é carregado direto em caminhões, portanto não há estoque de produto ensacado.

Há também casos de produtos que são vendidos a granel.

A CALPAR possui uma balança onde todos os caminhões que entram para carregar os produtos são pesados e, ao saírem retornam a balança para conferir o peso e garantir que a quantidade de produto está correta.

VANTAGENS:

O calcário tem um custo baixo, ele tem uma vantagem: se aplicado de uma só vez, dois a três meses antes do plantio , seu efeito neutralizante da acidez do solo, dura por cinco anos. Entretanto, já no primeiro ano, o aumento da produtividade da lavoura é tão grande que já paga o investimento em calcário.

VOLUME DE PRODUÇÃO:

O volume de produção da Calpar esta em torno de 100.000 toneladas de Calcário Agrícola, e o corretivo de Solo e 38.000 toneladas de Calcário Calcítico por ano, sendo, que 70% deste volume é produzido no período de julho a Outubro.

QUANTO A GRANULOMETRIA (FINURA):

Os corretivos de solo com usos mais difundidos são as rochas calcárias, constituídas principalmente de Carbonatos de Cálcio e Magnésio, que através de sua granulometria (finura), obtida através de diversos processos de moagem, irá se caracterizar o produto.

A finura do calcário junto com o poder de neutralização irá definir uma das características mais importante de um corretivo de solo, denominado de Poder Relativo de Neutralização Total (PRNT).

A finura é um dos fatores determinantes da velocidade de reação das rochas com o solo. As rochas calcárias são de baixa solubilidade e a sua reação com o solo se verifica através do contato da superfície exposta do calcário com o solo.

Desta maneira o calcário precisa ser moído para que aumente sua superfície já que quanto menor for o tamanho da partícula, maior será a superfície de contato e, portanto mais exposta estará ao ataque dos ácidos, provocando a neutralização destes.

QUANTO A COMPOSIÇÃO QUÍMICA:

Seguem nas tabelas abaixo as características dos produtos fabricados na CALPAR.

Tabela: Características do calcário dolomítico

CALCÁRIO PARAÍSO, produzindo corretivo de acidez Mineral da melhor qualidade.

Ficou com dúvida? Então entre em contato conosco: